in

10 atos que é melhor parar de fazer se a pessoa quiser enriquecer

Podemos definir riqueza como sendo uma situação referente à abundância na posse de bens materiais, tais como dinheiro, propriedades e imóveis. Geralmente uma pessoa é considerada rica quando esta não só acumulou grande quantia substancial de bens em relação à sociedade na qual vive, mas também aquela que possuí conhecimento, sabedoria e aptidão para arte, que são condições que geralmente não podem ser mensuradas.
Cada um de nós sabe o que nos faz felizes e os caminhos para chegar à tão sonhada prosperidade também são muitos. Independentemente disso, foi provado que muitas pessoas que alcançaram este caminho têm algo em comum segundo um estudo feito pelo especialista americano em finanças pessoais Thomas Corley, que escreveu diversos livros sobre o assunto.
Pensando nisso, nossa equipe de redação do site X4T, reuniu algumas das melhores dicas dos livros de Corley, que irão ajuda-lo a alcançar a tão sonhada independência financeira, melhorando assim seus hábitos segundo Thomas Corley.

1. Não querer conhecer gente nova.
Pessoas ricas costumam gostar de conhecer pessoas novas. Nove em cada dez pessoas mais abastadas expressaram seu gosto por novas amizades. A maioria dos que alcançaram a estabilidade fez todo o esforço possível para causar e manter no futuro uma boa impressão de si mesmos. Essas pessoas não se esquecem de cumprimentar novos e velhos amigos.


Foto: Reprodução/Brightside

2. Acreditar no destino.
Confiar na mão do destino às vezes pode dar certo, por exemplo quando precisamos escolher entre uma saia azul e uma vermelha. Mas quando o assunto é mais sério, os ricos pensam que eles mesmos determinam sua maneira de viver. Em torno de 90% das pessoas com baixa renda culpam o destino e outros fatores fora do controle humano pelas suas falhas. Mas, de acordo com o estudo, quem deseja alcançar o sucesso financeiro deve investir no esforço e estabelecer metas e não atribuir sucessos ou fracassos ao acaso.


Foto: Reprodução/Brightside

3. Odiar o trabalho.
O estudo mostra que a maioria dos ricos não se importa em se esforçar mais do que o seu trabalho exige – e com felicidade, ao passo que apenas 17% das pessoas mais desprovidas financeiramente concordam com isso. O mesmo estudo também aponta que 86% das pessoas mais ricas trabalhavam, em média 50 horas por semana, enquanto entre os mais pobres, este número foi de apenas 43%.


Foto: Reprodução/Brightside

4. Não prestar atenção na saúde.
Os ricos gastam muito tempo com a saúde. E isso inclui não apenas a prevenção médica, mas também um estilo de vida saudável. Entre os mais ricos, 85% consideravam que a saúde é fundamental para o sucesso financeiro, contra apenas 13% no grupo com menos liquidez financeira.


Foto: Reprodução/Brightside

5. Ter medo de assumir riscos.
Apenas 6% das pessoas que ganham pouco e mais da metade (63%) dos ricos da pesquisa afirmaram ter arriscado para chegar ao sucesso. Para 27% das pessoas ricas, pelo menos uma vez o risco trouxe um fracasso impressionante, mas elas não se desesperaram e tentaram de novo. Entre os menos abastados, o número foi de apenas 2%.


Foto: Reprodução/Brightside

6. Assistir televisão.
De acordo com a pesquisa de Corley, 67% das pessoas mais ricas assistem uma hora ou menos de televisão por dia, em contrapartida, na parcela mais pobre, número é de 23%. Entre as pessoas que não ganham bem, mais ou menos 78% gostam de programas em que o público é convidado a observar detalhes da vida de outras pessoas. Apenas 6% das pessoas de sucesso assistem a reality shows. “Os mais ricos não evitam assistir TV porque têm alguma disciplina ou força de vontade humana superior. Eles simplesmente não pensam nisso porque estão envolvidos em algum outro comportamento diário habitual – a leitura”.


Foto: Reprodução/Brightside

7. Ler pouco.
Fiódor Dostoyevski disse que deixar de ler livros é como deixar de pensar. Ao que tudo indica, 86% das pessoas de sucesso estão de acordo com o famoso escritor, desse número, 88% costumam ler sobre o autoaperfeiçoamento durante pelo menos 30 minutos por dia. Entre os mais pobres, 26% têm o hábito da leitura e apenas 2% se interessam por livros que desenvolvam suas habilidades.


Foto: Reprodução/Brightside

8. Acordar muito tarde.
Entre os empresários de sucesso observados por Thomas Corley, 44% acordam pelo menos 3 horas antes do começo da jornada de trabalho. Eles investem o tempo livre para organizar as tarefas do dia, para adiantar algum projeto pessoal ou para praticar esportes.


Foto: Reprodução/Brightside

9. Se relacionar com pessoas ‘tóxicas’.
Mais ou menos 96% das pessoas que vivem sempre com a corda no pescoço (em termos financeiros) têm alguém ao lado que está nas mesmas condições. Pessoas de sucesso se relacionam com pessoas que não trazem pensamentos negativos, e sim com pessoas que as estimulam a serem ainda melhores. Ampliar a sua rede de contatos é possível por meio de eventos culturais e voluntariado.


Foto: Reprodução/Brightside

10. Viver acima das possibilidades.
A maioria das pessoas sem muitos recursos gasta muito mais do que ganha. Entre as pessoas de sucesso, a distribuição do dinheiro costuma acontecer da seguinte maneira:

25% para aluguel ou hipoteca.
20% para investimentos (como ações ou poupança).
15% para a comida.
10% para o entretenimento.
5% para o transporte.

O resto da renda é destinado para roupa, educação e outras necessidades.

Foto: Reprodução/Brightside

Avatar

Artigo escrito por Alex Valadares, engenheiro eletricista por formação e grande admirador do mundo da arquitetura e curiosidades do mundo. Fundador, produtor, editor e roteirista do site X4T e página Portal na rede.

Pessoas que são verdadeiros gênios e parecem estar passos à frente da maioria

26 fotos que descrevem claramente o verdadeiro poder do destino