in ,

Em pesquisa estudantes encontram sementes de 800 anos e decidem cultivá-las

O planeta Terra possui os mais variados fenômenos naturais, que podem ser vistos em locais realmente incríveis, ele abriga uma quantidade imensa de vida em diferentes eco-sistemas de sua biosfera. Atualmente se tornou mais fácil de encontramos registros de situações e coisas curiosas na internet, pois com o avanço da tecnologia, as pessoas conseguem registrar imagens que possuem uma boa qualidade e assim compartilham em diversas redes sociais. Essa facilidade que temos nessa chamada era de informação, é algo que pode ser vivenciado em praticamente em todos os lugares do nosso mundo, mas temos que ficar atentos pois nem todas imagens que observamos são de fato reais e assim tempos que ter o cuidado de fazer uma pesquisa mais aprofundada para de fato confirmar se o que estamos vendo é realmente real.


Foto: Reprodução/Pinterest

Um exemplo de descoberta curiosa que parecem ter sido tiradas de um filme, foi feita por alguns alunos de Winnipeg, no Canadá, o que eles encontraram pode realmente ser de interesse para toda a comunidade científica. De acordo com a agência de notícias Aboriginal Peoples Television Network. Enquanto eles estavam trabalhando em uma escavação arqueológica, os jovens descobriram um vaso antigo com algumas sementes que possuem aproximadamente 800 anos de idade. Semente de que planta seriam estas? No começo eles não sabiam e por isso decidiram plantá-las para ver o que cresceria mais tarde.


Foto: Reprodução/Pinterest

Normalmente as sementes costumam ter uma vida útil que gira em torno de 2a3 anos. Aquelas de maior longevidade são as denominadas “sementes de longa vida”, e geralmente vivem mais de 15 anos. Elas incluem aquelas que possuem algumas com capas impermeáveis, como por exemplo as de: acácia, linden, albizzia, eleagnus, cassia, robinia, etc.


Foto: Reprodução/Pinterest

Segundo informações a semente viva mais antiga que teria sido encontrada até este presente momento tinha apenas 90 anos. Por esta razão, a descoberta dos estudantes de Winnipeg representa algo verdadeiramente histórico, pois ainda não foram encontrados registros de alguma semente tão antiga ter sigo encontrada anteriormente.


Foto: Reprodução/Pinterest

Eles conseguiram chegar um resultado satisfatório após o plantio das sementes, não foi nenhuma surpresa eles precisarem de algumas tentativas de cultivo para que no fim conseguissem obter o que buscavam. Segundo informações dos principais meios de comunicação, as sementes foram encontradas em um vaso de argila na Reserva Menemonee em Wisconsin. Quando abriram, viram muitas sementes estranhas com mais de 800 anos.


Foto: Reprodução/Pinterest

Nem todas germinaram, mas aquelas que conseguiram, produziram esse tipo de abobrinha que era de uma variedade já extinta. Uma característica que pode ser notada de cara é que o tamanho dessas abobrinhas é realmente grande. Elas têm um ótimo sabor, além de boa textura e cor. E agora eles possuem muitas sementes para continuar com a produção.


Foto: Reprodução/Pinterest

Os alunos a chamaram de “gete-okosomin”, o que significa “ótima abobrinha velha”. Eles afirmaram ainda que colocaram muito esforço nesse projeto, e por isso eles aproveitam e comem sempre que possível a sua descoberta!


Foto: Reprodução/Pinterest

Confira mais informações no vídeo abaixo!

Loading...

Avatar

Artigo escrito por Alex Valadares, engenheiro eletricista por formação e grande admirador do mundo da arquitetura e curiosidades do mundo. Fundador, produtor, editor e roteirista do site X4T e página Portal na rede.

19 imagens capazes de enganar qualquer olhar desatento

30 trocadilhos com nomes de lojas que mostram toda a criatividade dos brasileiros